quinta-feira, 12 de abril de 2012

OS MENINOS DE NOVA CRUZ...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL.






Crianças do Preliminar...


Estudava no preliminar, na mesinha, com outras duas crianças...uma das crianças, tímida e calada,ficava de cabeça baixa e desenhando... as vezes, desenhava a professora, as vezes um Cristo da parede...desenhos perfeitos...isto começou a me chamar atenção... eu observava que o meu vizinho tinha talento... sempre perseguí e prestigiei o talento... a este eu rendo homenagem, até hoje.


Tempos depois, já éramos rapazinhos, e eu fiz um conjunto, OS Marcianos, onde tocava contrabaixo... fiz a primeira boate de nova cruz, na sede do São Sebastião futebol clube...
nesta época, comprei uma luz negra... foi um sucesso... todo muito ia para as festas de branco, para fosforescer no escuro... foi o máximo...precisava decorar a boate para a inauguração... vim para Natal, e comprei vinte pranchas de isopor, para desenhar figuras de mulher, Eva, com tintas fosforescentes, para ornamentar o recinto, e que realçariam na luz negra...


Procurei o menino que sentava na minha mesa no preliminar, a esta altura, já ficando rapaz, e lhe disse:quero que você desenhe vinte quadros, tome a tinta e o isopor, e eu
lhe pago dez cruzeiros... o artista gostou da idéia de ganhar o dinheiro, e ao mesmo tempo disse, mas eu não sei desenhar... eu retruquei e disse: você desenha até mais do que isso... você desenhava a irmã edite e jesus Cristo, no preliminar, por que não acerta desenhar Eva, vestida em folhas, vinte vezes... ele enfim, aceitou a encomenda...dois dias depois, mandou o irmão me entregar dez quadros, devolveu o restante do material, e que eu mandasse os cinco cruzeiros... o preço da metade do contrato... sentí que era a ansiedade do artista, para receber o seu primeiro dinheiro, ganho como profissional...
Inauguramos a boate, e o efeito da luz negra sobre as gravuras ficou muito bonito e aconchegante...


Muito tempo depois, viemos estudar em Natal, e eu vejo no diário de natal, um desenho chamado cartão amarelo, assinado por EDMAR VIANA... lá estava O MEU COLEGA DE PRELIMINAR, BRILHANDO NAS CARICATURAS...
fui O PRIMEIRO OBSERVADOR DO TALENTO DE EDMAR, AOS CINCO ANOS...e fui o seu primeiro contratante, aos quinze... o menino sempre foi míope, tímido, sentimental e chorão... era diferente do irmão Carlos Artur,que não usava óculos, e era mais desinibido, que aperreava a timidez de Edmar ... Tive uma única oportunidade, de relembrar esta história ao artista,que não se ligara nos detalhes que eu gravei na cabeça...


A foto acima, foi a nossa colação de grau do Preliminar...minha mãe foi a paraninfa da turma, está no centro da mesa, ao lado da irmã Edite, a professora, e da madre Aurora, diretora do Colégio Nossa Sra do Carmo, em Nova Cruz, onde tudo aconteceu.
as duas crianças de calça curta, são os irmãos Carlos Artur e Edmar, nesta ordem...eu sou o ´sétimo e estou de paletó... Nada como o tempo para passar... esta foto me foi enviada por um irmão do génio, o Abraão Lincoln, que mora em capim macio, e é meu amigo...tocava bateria no nosso conjunto... eu fui o orador da turma, e minha mãe fez um grande discurso, onde se referia a irmã Edite, como a jardineira, que fez desabrochar, as mais belas flores, que já desabrocharam no seu jardim...
Eu e meu amigo, tínhamos a mesma idade, e fomos crianças em Nova cruz,estudávamos no alto das flores, e brincávamos na rua do advinhão... eu aprendí a tocar violão, e Edmar tinha mania de desenhar.A quarta criança da mesa, chamava-se francisco, vulgo xixico, e morreu de Crupe... fomos ao enterro de farda...


O que caracterizava os filho de Edgar Viana e Dona Maria era o excesso de inteligencia...eram sete filhos homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário